Chile, um paraíso para os amantes da Geografia

O Chile é um dos destinos mais procurados pelos turistas brasileiros. O país andino é famoso pelas suas belas paisagens naturais e pela hospitalidade de seu povo. Para quem se interessa por geografia, não há destino mais favorável, pois, o território chileno é um dos mais diversificados do planeta, possuindo quatro tipos de relevo que se desenvolveram no sentido norte-sul. São eles: as Planícies Costeiras ou Litorais, a Cordilheira da Costa, Depressão Intermediária e a  Cordilheira dos Andes (dos seus 9.000 quilômetros, 4.600 estão localizados no território chileno).

Altiplanos
Altiplanos – Imagem Acervo Pessoal.

Além de possuir um relevo acidentado e montanhoso, o país está situado ao longo de uma  área vulcânica onde podem ocorrer tremores de terra ou terremotos. Devido a sua grande extensão, possui climas variados. De maneira geral, podemos dizer que existem três grandes zonas climáticas. No norte predomina o clima desértico,  caracterizado por poucas precipitações; Nas zonas central e sul, predomina o clima temperado, onde se observam claramente as quatro  estações do ano;  E quando  avançamos para o sul, as chuvas aumentam e o frio  permanece o ano todo.  O país possui uma vegetação bastante diversificada e uma fauna bem peculiar, sendo que no litoral as focas e os leões marinhos chamam a atenção, especialmente dos turistas.

De olho em todos esses atrativos,  Hélio Oliveira, professor de Geografia, da Rede Municipal de Ensino da cidade de Confins, na grande Belo Horizonte, planejava fazer uma viagem ao Chile já há algum tempo e nesse ano de 2018 o projeto se concretizou. Juntamente com os filhos e o genro, o educador pôde  aprimorar seus conhecimentos geográficos e visualizar ao vivo as paisagens tantas vezes comentadas com seus alunos em sala de aula. A família visitou a região norte do país, passando também pela capital Santiago e pelas cidades praianas de Viña del Mar e Valparaíso. 

La moneda
Hélio planejou a viagem em família, com os filhos e genro – Foto – Acervo Pessoal

Surpreendente

O professor conta que a viagem atendeu suas expectativas e causou até algumas boas surpresas: “Dentre os aspectos que mais chamou minha atenção estava o ambiente da região. Por exemplo, eu achava que a Cordilheira dos Andes era um relevo inacessível, um lugar inóspito, inadequado para a vida em decorrência das altas altitudes, mas na viagem tive a oportunidade de estar em locais situados no topo da Cordilheira onde vi lagos e uma fauna diversificada adaptada àquele ambiente. Ele também tinha uma visão diferente em relação ao Atacama: “Eu imaginava que o deserto do Atacama, por ser o mais árido do planeta, era praticamente inabitável e sem vegetação devido à falta de umidade provocada pela ausência de chuvas, mas não é assim. Existe vegetação, principalmente de gramíneas, além de lagos, faunas e comunidades indígenas vivendo ali, trabalhando com agricultura e artesanato” – explica.

Aspectos culturais

Em relação aos aspectos culturais, Hélio observou os resquícios da colonização espanhola e um sentimento de nacionalização forte em algumas localidades: “Principalmente na região do deserto deu pra notar que ainda existe reflexo da colonização espanhola e costumes indígenas, através das edificações, das vestimentas e artesanatos. Também deu pra perceber uma demonstração do sentimento nacionalista da população. Em São Pedro de Atacama e nas vilas de Socaire e Tocane pude ver muitas casas e estabelecimentos comerciais com a da bandeira do Chile hasteada. Acredito também que a localização geográfica do país contribui para esse espírito nacionalista: o fato de ser um país praticamente isolado de outros, separado por uma grande cadeia de montanhas de um lado e de outro pelo Oceano Pacífico contribui para a preservação da identidade” – observa.

Comida

A comida local que mais chamou sua atenção foi a centolla no Mercado Central de Santiago.  Se trata de uma espécie de caranguejo gigante encontrado em águas profundas do Oceano Pacífico, considerado um dos pratos mais exóticos da culinária chilena. “Me pareceu bastante saboroso, só achei estranho o garçom colocar uma espécie de babador nos clientes – (risos). Já em São Pedro do Atacama experimentamos vários pratos com muita carne. Achei curioso o uso do abacate em muitos pratos” – comenta.

Impressões

Como em todo país, existem pontos positivos e negativos que percebemos ao visitar. Hélio comenta sobre suas impressões: “É difícil avaliar em duas semanas, mas durante minha permanência achei o país organizado, com uma boa infraestrutura, principalmente nas rodovias. Não vi violência (roubos, assaltos, acidentes) nos dias que permaneci no país. Na capital Santiago, gostei do sistema de transporte, principalmente do metrô. Não presenciei congestionamento no trânsito. Já em relação aos aspectos negativos posso falar sobre o alto custo de vida e uma certa desigualdade social, pois, apesar do Chile apresentar um dos melhores indicadores sociais da América Latina, pude observar pessoas pedindo ajuda nas ruas e alguns trabalhando na informalidade (como camelôs) em Santiago e Valparaíso” – revela.

Lugares fantásticos

Hélio conta que gostou muito de todos os lugares que conheceu: ” Achei fascinantes todos os lugares que visitei. São Pedro de Atacama com suas ruas estreitas e sem asfalto, com pessoas de todas as partes do mundo. As Lagunas Altiplánicas,  a Reserva Nacional dos Flamingos, o Valle de La Luna,  O Deserto do Atacama, as cidades de Valparaíso e Viña del Mar onde pude avistar pela primeira vez o oceano Pacífico entre outros”. O local que mais sua chamou atenção entre todos, foi a região onde se encontram águas subterrâneas quentes conhecida como Geiseres El Tátio. “Se fosse para escolher apenas um desses locais escolheria visitar novamente os Geiseres El Tatio porque foi muito emocionante poder testar minha resistência estando a uma altitude de 4.300 metros com uma temperatura de cinco graus negativos” – afirma.

G2 (2)
Na região dos Geiseres El Tatio a temperatura fica abaixo de zero. Foto Acervo Pessoal

Retorno

“O Chile é um país rico em belezas naturais. Dava para voltar lá e visitar a mesma região e conhecer outros lugares sem repetir o que já conhecemos”. Gostaria de voltar um dia especialmente para conhecer o sul, na região da Patagônia – revela o professor”.

Viña
Um dos pontos emocionantes da viagem foi o encontro com o Oceano Pacífico – Acervo Pessoal.

E você se interessou também em conhecer esse país tão especial? Não perca mais tempo e vá se  preparando para se aventurar nesse maravilhoso universo chamado Chile. 

Fonte: Site InfoEscola

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: