De música ligera

Todos temos nossos cantores e músicas favoritas.  Algumas canções ultrapassam gerações e se tornam hits eternos. É o caso de ” À sua maneira” da banda brasiliense Capital Inicial, que sempre foi uma das minhas músicas  preferidas de rock nacional. Outro dia tive uma surpresa boa em relação à essa música assistindo ao Programa Altas da TV Globo. Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital,  revelou  um fato super importante sobre a melodia  que era totalmente desconhecido pra mim: ela foi inspirada em um grande sucesso de uma banda de rock argentino chamada Soda Stereo.  O título original é De música Ligera. 

Pra matar a curiosidade dei aquela passada no youtube pra conferir a versão original e gostei bastante do que vi.

Segue o link de uma interpretação ao vivo de De música Ligera, acho que vocês vão curtir também 😉

 

Expresiones

Se você já fez algum curso de idiomas, independente de qual seja, com certeza já ouviu falar que para se ter um bom domínio de uma nova língua é fundamental aprender muitas expressões linguísticas. Pensando nisso, sempre que possível, vou estar postando sobre expressões interessantes faladas pelos milhares de hablantes espalhados pelo mundo.

No post de hoje vamos aprender 05 divertidas expressões  muito utilizadas na Argentina:

  • Más desorientado que Adán en el día de la madre – Mais desorientado do que Adão no dia das mães.
  •  Lo atamos com alambre – O amarramos com arame –  Expressão usada quando alguém faz  uma ‘gambiarra’.
  • Más ordinario que ataúd con calcomanía –  Mais brega do que um caixão com adesivos).

colar-de-sandia

  • Más pesado que collar de sandías –  Mais pesado do que colar de melancias  – Usado para indicar que alguém é um chato sideral.
  • Más inútil que guardabarros de avión –  Mais inútil do que paralamas de avião. Ou seja, inútil pra valer. Rs

Fonte: Twitter @arielpalacios – Correspondente da Globo News em Buenos Aires.

La Mar

Terminei há pouco de ler “O velho e o mar” premiada obra do escritor  norte- americano Ernest Heminguay, e além da comovente história, (que recomendo a todos), me chamou atenção um certo trecho do livro onde o autor explica que o velho sempre se referia ao mar como “la mar”, isso mesmo no feminino.

Heminguay viveu por duas décadas em Cuba, e a cultura local serviu de inspiração para o livro.  Fiquei curiosa pra saber se a palavra no feminino é realmente usada entre os hablantes reais ou se faz parte apenas da narrativa do escritor.

Resolvi  então dar aquela pesquisada básica no google e a resposta, pra minha surpresa, era que Sí, se puede decir la mar  también!  De acordo com a Real Academia Española, a palavra é considera ambígua, portanto admite os dois gêneros e ambos artigos (el / la).

É mais comum se ouvir “La Mar” em grupos como pescadores, marinheiros e pessoas em geral que passam tempo no mar,  e também para quem vive em zonas litorâneas (exatamente como é relatado no livro).  Também é muito utilizada poeticamente.

Trecho extraído de “O velho e o Mar”

O velho pensava no mar sempre como sendo la mar, que é como lhe chamam em espanhol quando verdadeiramente o querem bem. Ás vezes aqueles que o amam lhe dão nomes vulgares, mas sempre como se fosse uma mulher. Alguns dos pescadores mais novos, aqueles que usam boias como flutuadores para as suas linhas e têm barcos a motor, comprados quando os fígados dos tubarões valiam muito dinheiro, ao falarem do mar dizer el mar, que é masculino. Falam do mar como um adversário, de um lugar ou mesmo de um inimigo. Entretanto, o velho pescador pensava sempre no mar no feminino e como se fosse uma coisa que concedesse ou negasse grandes favores; mas se o mar praticasse selvagerias ou crueldades era só porque não podia evitá-lo. “A lua afeta o mar tal como afeta as mulheres”, refletiu o velho…

 

Soltando a voz

No próximo domingo serão entregues os prêmios da maior festa do cinema mundial. Como uma boa apaixonada pela sétima arte sempre aguardo pela cerimônia do Oscar com ansiedade e geralmente torço e me divirto bastante. Mas como nem tudo são flores é comum acontecerem alguns episódios um tanto desagradáveis e algumas injustiças que tiram a gente do sério.  E uma das maiores polêmicas da história recente da premiação  aconteceu no ano de 2005.

jorgedrexleroscarafp600_115752
Drexler nos bastidores do Oscar 2005

Pela primeira vez uma música em espanhol tinha sido indicada como melhor canção original.  Se tratava de “Al otro lado del río”, composta e cantada pelo cantor uruguaio Jorge Drexler para o filme “Diários de Motocicleta do diretor Walter Salles.  Tinha tudo para ser uma apresentação  histórica e emocionante.  E tenho certeza que teria sido se os produtores do evento tivessem permitido que Jorge Drexler cantasse, mas ao invés disso resolveram chamar o músico Santana e o ator Antonio Banderas para subirem ao palco e interpretarem a canção, com a justificativa de que eram nomes mais conhecidos do que  Drexler. A escolha gerou muitas críticas na época e um constrangimento muito grande.  Mas o cantor uruguaio soube dar um drible em toda essa situação:  Ao ser anunciado como vencedor pelo saudoso Prince ele resolveu cantar ao invés de discursar e finalmente pôde soltar a voz dando uma resposta ao preconceito dos organizadores de forma brilhante.

Confira como foi esse momento único no link abaixo:

Moisés y los diez mandamientos

Em 2015 o Brasil parou pra assistir Moisés abrir o Mar Vermelho e libertar o povo de Israel da tirania do cruel faraó Ramsés. O sucesso da novela “Os dez mandamentos” da TV Record rompeu as fronteiras nacionais e se espalhou por vários países da América Latina, em especial Argentina e Chile.

Ainda na semana de estreia, na terra dos nossos hermanos, a novela marcou 15,4 pontos, garantindo o segundo lugar no horário nobre argentino. “Moisés e Los Diez Mandamientos” ficou atrás apenas da transmissão de uma partida de futebol entre a seleção argentina e a Bolívia pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

No Chile o êxito também foi grande alcançando uma média de 12 pontos  pela  rede de televisão pública TVN,  oscilando entre o segundo e o terceiro lugar no horário nobre chileno.

Na semana passada a transmissão da trama chegou ao fim na Argentina e atriz Gisele Itiê, que interpreta Zípora, esposa de Moisés, agradeceu aos fãs porteños em seu Instagram:

moisc3a9s-e-zipora

“Mira, desde siempre soy extremamente fan de los Hermanos. Por Mafalda, Alfajores, las pelis, por su cultura… su arte en general. Soy muy grata de poder enseñar mi trabajo a este país tan increíble y sentir tanta energia linda de ustedes. Muchas Muchissimas GRACIAS por todo el cariño. Despues de Zípora me enamore todavia más de los Argentinos! Seguro nos vemos pronto…!” – escreveu a atriz.

Confira no link abaixo a música tema de Moisés e Zípora cantada em espanhol:

Blog no WordPress.com.

Acima ↑