Conheça Salta e Jujuy, dois cenários incríveis, localizados na vizinha Argentina

A maioria dos brasileiros que visitam a Argentina escolhe Buenos Aires, Bariloche ou Mendoza como destinos. Não suspeitam que, no noroeste do país, descortina-se um cenário de paisagens impressionantes que exaltam os sentidos. Na fronteira com os vizinhos Chile e Bolívia, estão as províncias de Salta e Jujuy, as novas apostas do turismo argentino. 

A partir de julho deste ano, a companhia aérea Aerolíneas Argentinas vai inaugurar três frequências semanais e diretas de São Paulo para Salta, a porta de entrada da região. O lançamento foi feito, na feira de turismo WTM Latin America, e contou com a presença do ministro de Turismo e Esportes da província de Salta, Mario Peña. 

Essa região tem paisagens muito singulares: salares brancos que espelham o céu, colinas coloridas como o arco-íris, cactos gigantescos, caminhos incas, rochas esculpidas pela ação da água e do vento, a Rota do Vinho mais alta do mundo, trem turístico, comunidades indígenas, cidades coloniais de influência espanhola e uma culinária variada e requintada. 

Porta de entrada

Salta – que leva o mesmo nome da província e está 1.259 m acima do nível do mar – é uma cidade para ser explorada a pé. Na praça 9 de Julho, estão edifícios icônicos, como a Catedral, o Cabildo (prefeitura) e o Museu Arqueológico de Alta Montaña, cujo acervo exibe rotativamente três múmias de crianças incas descobertas no vulcão Llullaillaco em 1999.  

Catedral mais famosa da cidade de Salta – Reprodução Internet

A uma quadra da praça está um cartão-postal da cidade, a igreja de São Francisco, além do Museo Güemes. Para ter uma panorâmica da cidade, deve-se subir o teleférico Cerro São Bernardo (150 pesos por pessoa), que leva ao topo da colina homônima. Há, ainda, no alto, uma belíssima cachoeira artificial e cênica, que corre por toda a extensão do morro.  

Rota 68

De Salta até Cachi, pela Rota 68, há pelo caminho belezas dignas de uma paradinha para foto: a Cuesta del Obispo, que o bispo de Tucumán utilizou para descansar durante a viagem em 1600; a Piedra del Molino, onde está a capela de San Rafael, no ponto mais alto da estrada, a 3.457 m; a Quebrada de Escoipe; o Parque Nacional Los Cardones, um “mar” de cactos gigantes; e a Recta del Tin-Tin, na qual se vê parte da trilha inca que ficava no país. 

Parque Nacional de Los Cardones – Reprodução Internet

Cachi é rodeada de montanhas da cordilheira dos Andes de mais de 5.000 m de altura. Foi fundada no século XVI, tendo sido o lar da aristocracia colonial. Na cidade, o ponto principal é a praça 9 de Julho com a rústica e pitoresca igreja San José de Cachi, que surpreende pela sua autenticidade e simplicidade, e o Museo de Arqueología Pio Pablo Díaz, com um vasto patrimônio arqueológico de itens datados de diferentes períodos históricos. 

Quebradas

Saindo de Cachi, pela Rota 40, passa-se pelo Valles Calchaquíes, com 2.000 m de altitude. O destaque é o Camino de los Artesanos, onde há uma gama de lojas de artesanatos locais, casas de chá e galerias de arte. Não se pode deixar de conhecer os povoados de Seclantás, Molinos e Angastaco, este último onde se localiza a famosa Quebrada de las Flechas. 

El camino de los artesanos

Explicando: o turismo nessa região se dá por meio de suas quebradas, que são vales com depressões formadas pela erosão do vento e da chuva. Esses desfiladeiros são monumentos naturais, cuja origem remonta a 15 milhões ou 20 milhões de anos. Las Fechas tem rochas pontiagudas, de até 20 m de altura. O ideal é visitar essas quebradas no pôr do sol. 

Cafayate

Cafayate é o ponto final da viagem. A cidade, a 160 km de Cachi, surpreende pela beleza do desfiladeiro homônimo e pela produção de vinho de uva Torrontés. A região é o segundo maior centro de produção de vinhos na Argentina e tem a Rota do Vinho mais alta do mundo. Há vinícolas que podem ser visitadas, como El Porvenir, Vasija Secreta, a mais antiga, e Bodega Nanni.  

Em Cafayate, além de apreciar a natureza, o turista pode desfrutar de um bom vinho

O coração da Cafayate é a praça 20 de Fevereiro, com a Catedral Nossa Senhora do Rosário e o Mercado Municipal. Nas proximidades está o Museo de la Vid y el Vino, que expõe de maneira dinâmica e interativa a origem do vinho. Uma boa dica é se hospedar em Viñas de Cafayate Wine Resort, ao pé da colina e com vista deslumbrante dos vinhedos.  

No final da tarde, um passeio inesquecível é uma cavalgada na região de Los Médanos. A 8 km do centro da cidade, é um lugar que surpreende: entre vales, vinhedos, montanhas, casas e campos de golfe, surgem também dunas de areia branquinhas, como se estivéssemos perto da praia. A explicação é simples: há milênios, a região já foi um oceano. 

Garganta del Diablo

De volta a Salta, pela mesma Rota 68, está a Quebrada de las Conchas, um vale em tons avermelhados e alaranjados. Nessa região, há formações esculpidas pela natureza na rocha, entre os destaques a Garganta del Diablo, paredões de rochas que lembram uma garganta, e Anfiteatro, uma abertura estreita entre dois penhascos que oferece uma boa acústica. No mirante Tres Cruces, pode-se ver todos os Valles Calchaquíes.

Uma observação curiosa: a Garganta del Diablo virou uma parada obrigatória para uma selfie dos turistas depois que o atrativo apareceu em uma cena do longa-metragem “Relatos Selvagens”, no episódio surreal e cômico dos dois motoristas que brigam até seus carros despencarem da ponte. 

Trem das Nuvens

Saindo de Salta pela Rota 51, na direção de Puna, passa-se pelas cidades de Campo Quijano, conhecida como “Portal dos Andes”. Esta é a última cidade antes da Quebrada del Toro, um lugar de colinas coloridas, cactos gigantes e vista maravilhosa. No caminho é indicado tomar um café da manhã em El Alfarcito, pequena comunidade rural pelo caminho.  

De volta à estrada, o viajante continua até San Antonio de los Cobres, passando pela Quebrada de las Cuevas. É nessa pequena cidade que se pega o Trem das Nuvens. O passeio de uma hora não é barato (6.800 pesos) e passa pelo viaduto La Polvorilla, 4.200 m acima do nível do mar, uma das obras mais imponentes da engenharia do século passado. 

El tren a las nubes – Reprodução – Internet

Desce-se do trem nesse ponto para conhecer o lugar e, 30 minutos depois, retorna-se a San Antonio. Se não quiser retornar, é preciso pegar um ônibus para Salta. A linha foi criada para levar e trazer cobre entre Salta e Antofagasta, no Chile, mas hoje carrega turistas. A viagem acontece às terças, quintas e sábados e cruza 29 pontes, 21 túneis e 13 viadutos.

Espelho do céu

A 90 km de San Antonio pela Rota 40, estão as Salinas Grandes, a 3.600 m de altitude, um deserto de sal relativamente pequeno se comparado ao boliviano Uyuni. Em época de chuvas, forma uma lâmina de água de 30 cm que espelha o céu. Dentro do salar, há uma proposta de hospedagem de dormir em um “glamping”, uma espécie de camping com conforto. 

Las Salinas grandes são parada obrigatória para quem visita a região – Reprodução Internet

Depois de conhecer as Salinas, a parada obrigatória é no pitoresco Purmamarca, que significa “Cidade da Terra Virgem” na língua quéchua. O vilarejo – Patrimônio da Humanidade pela Unesco – tem arquitetura pré-hispânica e no passado foi lugar de parada do caminho inca. O destaque ali é o impressionante Cerro Siete Colores. 

Humahuaca

Seguindo ao norte de Salta, na província de Jujuy, pela Rota 52, chegamos à Quebrada de Humahuaca, que guarda o assentamento indígena de Humahuaca, a cidade de Uquia e a cidadela Tilcara, com as ruínas de Pucará – o mais importante sítio arqueológico da Argentina revela a história do povo que ali viveu, os Humahuacas, ainda no século XII. 

Ruínas de Pucará

Em Uquia, a igreja de São Francisco de Pádua, construída em 1691, é monumento histórico nacional desde 1941 e exibe únicas coleções de pinturas feitas no século XVII por indígenas da Escola Cusquenha. De Uquia é possível fazer passeios à Quebrada de las Señoritas, rochas de tons cinza, azulado e esverdeado formadas por arenito vermelho e argila. 

Na WTM

“Temos montanhas coloridas, como Cerro Siete Colores, em Purmamarca, e as Salinas Grandes, onde há glampings de luxo que permitem passar a noite. Na maioria, os nossos hotéis são pequenos e com atenção individualizada. Estamos com os braços abertos para receber os turistas”, afirma Diego Valdecantos, secretário de Turismo da província de Jujuy na feira WTM Latin America.

Culinária 

O noroeste argentino utiliza-se muito de grãos, como feijões, lentilhas e milho, na culinária. Os pratos típicos vão desde as empanadas fritas e assadas até os tamales (massas de milho com recheios) e as humitas (cremes salgados de milho).

O “locro” é um prato típico dessa região da Argentina – Reprodução Internet

Pratos como o “locro” (mistura de feijão-branco com carnes, milho, abóbora, batata e pimentão) e as “tortilhas a la parrilla” (massas feitas de farinha, manteiga e sal na brasa) podem ser encontrados em qualquer esquina.

E você, ficou com vontade de conhecer essa região incrível da Argentina? Surpreendente, ¿verdad?

Fonte: Site Jornal “O Tempo”.

Uruguai anuncia isenção de impostos para atrair mais turistas

O governo uruguaio decidiu renovar o pacote de medidas de estímulo ao turismo que isenta os estrangeiros não residentes que passam pelo país de pagar o IVA (Imposto sobre Valor Agregado) em serviços como hospedagem, aluguel de carros sem motoristas, serviços gastronômicos (como restaurantes, bares, etc.) e aluguel de imóveis. A decisão visa impulsionar o turismo na reabertura das fronteiras do país após a pandemia de covid-19.

Os descontos, que anteriormente chegavam a até 18,5%, serão de até 22%, de acordo com o jornal La Nación. O secretário da presidência, Álvaro Delgado, ainda anunciou ao El País no final de setembro, uma série de medidas compensatórias que visam estimular o turismo, especialmente por parte de brasileiros e argentinos.

Entre elas está um desconto de impostos em combustíveis que chega a 24% nas cidades em até 20 quilômetros da fronteira, com o objetivo de evitar que uruguaios e estrangeiros tenham que entrar no Brasil ou na Argentina para abastecer e precisem realizar o teste do tipo PCR na volta, um processo que encarece e torna mais lenta a circulação de pessoas entre os países.

A proposta do governo é tornar cidades turísticas, como Colonia del Sacramento (foto) ainda mais atrativas. Imagens: Reprodução Internet

De acordo com o Ministério do Turismo uruguaio, é preciso pagar pelo combustível com cartão de crédito ou débito para receber o desconto. Turistas, no entanto, podem aproveitar ainda o incentivo em lojas que façam parte do programa Tax Free do governo. Com as notas fiscais em mãos, é possível receber um reembolso parcial dos impostos em aeroportos ou postos de fronteira.

O Uruguai voltará a receber brasileiros não residentes no país a partir de 1º de novembro. Aqueles com propriedades em território uruguaio foram liberados para retornar em 1º de setembro.

*Com informações de: Uol Notícias

Paraíso dos livros completa 20 anos

A livraria El Ateneo Grand Splendid, considerada a livraria mais bonita do mundo, completou 20 anos neste último mês de dezembro. No ano 2000, já se insinuava o desaparecimento das grandes salas de cinema nas avenidas de Buenos Aires, pois os telespectadores começavam a mostrar preferência pelos complexos multiplex. Na Avenida Santa Fé, o cinema-teatro Grand Splendid fechou definitivamente as portas em março daquele ano. Mas reabriu alguns meses depois, no dia 4 de dezembro, transformado em livraria.

Um único requisito condicionou a transformação cultural do local fundado em 1919 por Max Glücksman com o intuito de ser a “catedral” do cinema e teatro de Buenos Aires: somente o espaço ocupado pelas 550 poltronas dos espectadores poderia ser modificado, nada mais.

Nada foi mudado. Nem o palco, nem os camarotes, nem os mármores, nem a cúpula pintada pelo italiano Nazareno Orlandi com alegorias pacifistas para o fim da Primeira Guerra Mundial, nem a marquise com figuras gregas que dá as boas-vindas na entrada do local. Ao longo de seis meses, com um investimento de US$ 3 milhões, a cúpula foi restaurada, foram instaladas escadas rolantes e elevadores, camarotes e escadas foram recuperados e a arquitetura e o design originais foram mantidos.

A arquitetura e o design originais foram mantidos.

Essa condição é a chave do sucesso da livraria atual. O Grupo Ilhsa, administrador das instalações localizadas na Avenida Santa Fe 1860, em Buenos Aires, soube aproveitar as particularidades que o espaço oferecia e transformá-lo em local atraente para os visitantes.

Desde então, El Ateneo é um dos passeios quase obrigatórios dos turistas que visitam Buenos Aires. Em tempos normais recebe em média 3.000 pessoas por dia, mais de 850.000 por ano.

Esse espaço arquitetônico único ocupa cerca de 2.000 metros quadrados e seus quatro andares estão divididos em: setor infantil e música (subsolo); livros, jogos, agendas, camarotes de leitura, confeitaria (térreo); livros técnicos e profissionais (primeiro andar); e música clássica e filmes, além de um setor dedicado a eventos e vistas panorâmicas (segundo andar).

Em 2008, a livraria El Ateneo foi eleita “a segunda livraria mais bonita do mundo” pelo jornal inglês The Guardian e em janeiro de 2019, a revista National Geographic a escolheu como “a mais linda do mundo”.

Você que estiver de passeio pela capital argentina, não pode deixar de conhecer esse paraíso dos amantes dos livros e da arquitetura 😉

Fonte: Site Clarín em Português

União europeia aprova novo visto obrigatório para quem deseja visitar a região

Você que deseja viajar para o velho e belo continente precisa estar ligado a essa informação – Devido ao aumento de problemas relacionados ao terrorismo e à imigração ilegal, a União Europeia aprovou uma resolução que cria um novo requerimento obrigatório para quem deseja visitar a região: O turista deverá se cadastrar no chamado Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem ETIAS –  na sigla em inglês.

Para se cadastrar no sistema ETIAS, o viajante deverá preencher um formulário online com seus dados pessoais, assim como responder a um pequeno questionário e pagar a taxa de processamento. As informações apresentadas por cada viajante serão comparadas automaticamente com outras bases de dados de segurança da União Europeia para determinar se existem motivos, ou não, para emitir a autorização de viagem. Caso não exista necessidade para uma análise mais aprofundada, a autorização será emitida automaticamente pouco tempo depois. Espera-se que assim aconteça na grande maioria dos pedidos. No entanto, se existir algum alarme ou um elemento que tenha de ser analisado, o pedido será processado manualmente pelas autoridades competentes e a resposta será emitida uma vez esta análise esteja terminada.

Uma vez aprovado o visto ETIAS  será válido por 05 anos  e servirá  para múltiplas entradas no velho continente. Isso sim por um prazo máximo de 90 dias por cada 180 dias, o que quer dizer que por cada 6 meses você pode permanecer 3 dentro do Espaço Schengen.

turistas na Europa
Quem pretende viajar para Europa precisa ficar atento à nova exigência – Foto Reprodução Internet

O que é o Espaço Schegen?

Espaço Schengen nada mais é do que um tratado de livre circulação de pessoas, que dá o direito de circular em 26 países da UE sem precisar passar por controle de passaporte (a não ser quando você chega de um país de fora ou quando você deixa a zona). Funciona como “fronteiras internas” de um único país, onde as viagens são consideradas domésticas. No entanto, o turista que não for cidadão ou residente de nenhum desses países deve portar obrigatoriamente o passaporte. Vale a pena ressaltar que o controle das fronteiras pode ser reativado por um país específico sempre quando exista algum risco para a segurança nacional.

Todos os países membros também compartilham das mesmas políticas de vistos e a duração da estadia de um turista é igual para todos os países. Entre os países mais conhecidos que fazem parte do Espaço Schegen estão: Espanha,  França, Itália, Alemanha,  Holanda, Bélgica, Grécia, Dinamarca,  Suíça entre outros.

A nova determinação vai atingir turistas de 15 países latino-americanos. A lista é composta por Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

A boa notícia é que o novo visto começará a ser obrigatório somente a partir de 2021. Assim você terá tempo de sobra para se programar 😀

Fonte: Site BBC Mundo

 

Aeroporto de Buenos Aires será mais receptivo aos turistas brasileiros

Uma notícia boa pra quem deseja conhecer a bela capital portenha. O Aeroporto de Ezeiza  passará a acolher melhor o turista brasileiro. A Corporación América, empresa que controla o local, anunciou um projeto visando alcançar os cerca de um milhão de turistas brasileiros que chegam à Argentina anualmente.

Com isso, a partir de dezembro, todos os estabelecimentos do local passarão a aceitar o real como moeda. Os mapas, avisos de som e placas do local também terão versões em português e os brasileiros receberão um cartão com descontos e benefícios.

EZE_Bue
Aeroporto de Ezeiza  – Reprodução Internet

A novidade foi divulgada durante a Feira Internacional de Turismo da América Latina (FIT), que aconteceu em Buenos Aires  e se encerrou no dia 31 de outubro.

O Brasil é a principal nacionalidade que visita o país, na frente dos Estados Unidos e Chile.

Fonte: Site Jornal o Globo

 

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑